Ricardo Leitão Pedro

voz, viola de mão

Fascinado desde sempre pelos cantores-instrumentistas
da Antiguidade e a sua encarnação presente em todos os períodos históricos, Ricardo Leitão Pedro é um dos poucos músicos de hoje dedicado à prática histórica do canto al liuto, acompanhando-se a si mesmo com diferentes instrumentos de corda dedilhada (alaúde medieval e renascentista, teorba, guitarra barroca).

Nascido no Porto em 1990, começou a busca pelo alaúde
e pela música renascentista após assistir a um concerto de Hespérion XXI, encorajado pelo então professor de guitarra clássica Pedro Fesch. Um ano depois é aceite na licenciatura em música antiga da ESMAE (Porto), concluída em 2013, durante a qual residiu por um ano em França com uma bolsa Erasmus para estudar no Conservatoire National Supérieur de Musique et Danse de Lyon na classe de Eugène Ferré.

Durante este período estudou com Ronaldo Lopes e Hugo Sanches (alaúde e baixo contínuo), Pedro Sousa Silva (fontes, temperamentos, solmização, técnicas de diminuição), Yves Rechteiner (baixo contínuo, repertório seicento), Barbané Janin (improvisação, cânones, retórica barroca) e Jean Tubéry (técnicas de diminuição e improvisação).

Membro dos ensembles I Discordanti (ensemble EEEmerging 2016, século XVII italiano e francês, concertos em França, Itália e Suíça) e Concerto di Margherita (ensemble EEEmerging 2017, grupo de cinco cantores-instrumentistas, seicento italiano, tournée em Itália, concertos na Suíça), é regularmente convidado a colaborar com outros grupos tanto enquanto cantor como alaúdista (Troxalida, La Boz Galana, Domus Artis, Capella Sanctæ Crucis).

As grandes produções barrocas e clássicas também fazem parte da sua experiência como coralista (Requiem de W.
A. Mozart no Porto, Gesù al Calvario de J. D. Zelenka e Oratorio de Natal de N. Porpora em Basel) e continuísta (Fairy Queen de H. Purcell em Lisboa, Dido & Aeneas também de H. Purcell em Genebra e Paris, Paixão Segundo São João de J.S. Bach em Lisboa, Aveiro e Viseu). Em duo com o alaúdista Guilherme Barroso ganhou o 2.o prémio (1.o não atribuído) da competição JIMA (Oeiras, Portugal) na categoria de música de câmara.

Ao longo dos anos, teve o privilégio de aprender com cantores como Gerd Türk, Patrizia Bovi e Kathleen Dineen e alaúdistas como Paul O’Dette, Eduardo Egüez, Hopkinson Smith e Rolf Lislevand.

Vive em Basel e estuda na reconhecida Schola Cantorum Basiliensis onde concluiu a licenciatura em alaúde com Crawford Young especializando-se em repertório medieval e renascentista (notação, danças históricas, improvisação modal, análise musical dos séculos XIII a XVI, contrapunto alla mente).

Atualmente, é aluno de mestrado em performance na classe de canto medieval e renascentista de Dominique Vellard continuando o estudo de alaúde com ênfase em técnicas históricas de improvisação.

Ricardo Leitão Pedro